Maio Roxo: HUSF possui ambulatório acadêmico específico de doenças inflamatórias intestinais
O serviço é coordenado pelo médico coloproctologista Dr. Daniel de Castilho


21/05/2021 07:29:31 Comunicação NOTÍCIAS

O mês de maio também ganha a cor roxa para conscientizar a população quanto às doenças inflamatórias intestinais (DII’s). A campanha foi criada no ano de 2002, mas teve início no Brasil apenas em 2016, graças à iniciativa da Associação Brasileira de Colite Ulcerativa e Doença de Crohn (ABCD).

O Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus conta com um ambulatório acadêmico específico de doenças inflamatórias intestinais – atendendo, prioritariamente, Doença de Crohn e Retocolite. O serviço é coordenado pelo Dr. Daniel de Castilho (CRM 130.308), médico coloproctologista e coordenador do Pronto-Socorro da Clínica Cirúrgica de nossa instituição.

“Nosso ambulatório acadêmico é de grande importância para a população da Região Bragantina. Afinal, o grande problema das doenças inflamatórias intestinais é o retardo no diagnóstico. Infelizmente, muitas pessoas ainda demoram anos para descobri-la e procurar um especialista para dar início ao tratamento”, ressalta o médico.

O ambulatório acadêmico específico de doenças inflamatórias intestinais conta com seis especialistas – além do Dr. Daniel de Castilho, há quatro médicos residentes em Coloproctologia e um médico residente em Cirurgia Geral – e ocorre sempre às quintas-feiras, englobando o Sistema Único de Saúde (SUS) e pacientes atendidos por convênios médicos.

 Além da consulta com os médicos – que dura a média de 30min –, os pacientes têm acesso aos exames de Colonoscopia e às infusões dos medicamentos biológicos de alto custo liberados pelo SUS.

“Os pacientes se sentem à vontade nas consultas, pois têm a liberdade de compartilhar seus sintomas e conversar com nossa equipe. E outro grande mérito do ambulatório acadêmico é a integração com o programa de Residência Médica em Coloproctologia do HUSF, iniciada pelo Prof. Dr. Carlos Augusto Real Martinez, onde os residentes são capacitados a tratar das doenças inflamatórias intestinais desde o início dos estudos. Isso faz toda a diferença, pois o Brasil, infelizmente, é um país onde a tuberculose é endêmica. E tal fato pode enviesar o diagnóstico, devido às semelhanças entre elas”.

Dr. Daniel de Castilho, futuramente, projeta incluir no ambulatório acadêmico a presença de uma equipe multiprofissional, formada por fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas e psicólogos, de forma a contribuir com o tratamento dos pacientes em todas as instâncias.

“É fundamental termos à disposição uma equipe capacitada. Faço um agradecimento especial e merecido à nossa equipe de Colonoscopia e Endoscopia, em nome do Dr. Alexandre Tellian, pois um exame bem feito é essencial no diagnóstico. E seguiremos aperfeiçoando o nosso serviço para cuidar dos pacientes com o máximo de acolhimento”, finaliza.

Dr. Daniel de Castilho (CRM 130.308) é graduado em medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos – UNILUS, com residências médicas em Cirurgia Geral no Hospital Nossa Senhora de Lourdes e Coloproctologia no Hospital Heliópolis. É membro titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP), membro do European Crohn’s and Colitis Organization (ECCO) e do Grupo de Estudos da Doença Inflamatória Intestinal do Brasil (GEDIIB). É também mestre pela Universidade São Francisco (USF) e docente dos cursos de Cirurgia Geral e Coloproctologia da instituição.


Tags:  

Galeria