Grande transtorno na atualidade: psicóloga do HUSF discorre sobre a depressão
Lenilza Soares Cruz dá dicas para evitar a doença que atinge milhões de pessoas


27/08/2019 15:53:19 Comunicação NOTÍCIAS

Uma mente saudável é fundamental para o bem-estar de qualquer indivíduo, e a depressão tem sido um grande transtorno na atualidade (apesar de ser muito antiga).  Ela é considerada  o mal que encabeça as consultas psiquiátricas e da psicologia clínica, e o seu aumento é preocupante – segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), há mais de cem milhões de pessoas deprimidas no mundo. 
 
Não devemos tratar a depressão com pouco caso, pois ela vai além de momentos de tristeza, angústia, excessiva preocupação ou estresse por uma dificuldade de adaptação e enfrentamento. Entretanto, tais alterações emocionais podem sinalizar o inicio da doença, e é importante estar atento para que esses sintomas não se prolonguem demasiadamente. 
 
Entendemos que a realidade da vida pode ser difícil, com  aflições, dores,  perdas e desgostos, mas tudo isso faz parte do viver. Porém, quando esses momentos acabam estendidos, com mudanças de comportamento; isolamento social; alteração do sono e apetite e perda do ritmo de vida e da alegria, acende-se um sinal de importante de alerta, afinal, esse alguém pode estar se fechando em si mesmo, temendo, muitas vezes, a incompreensão de uma doença que rouba nossas vontades, trazendo vazio e desesperança.
 
No caso de pessoas que ainda não foram diagnosticadas com depressão, é preciso avaliar comportamentos que indiquem que alguém possa estar passando pelo respectivo transtorno e não somente pedir para que o mesmo “reaja”, pois pode haver um desequilíbrio químico – e o mesmo não terá energia suficiente para reagir, sentindo-se pior por não conseguir. 
 
É preciso conversar com carinho, mas, por mais que sejamos solidários, não seremos capazes de arrancar a dor do depressivo. É preciso, portanto,  incentivá-lo a procurar ajuda, buscando diagnóstico, fazendo uso correto de medicações antidepressivas e cumprindo os requisitos da psicoterapia, pois existem padrões de pensamentos e crenças equivocadas que precisam ser trabalhadas. 
 
O paciente submetido à psicoterapia, desenvolve habilidades para lidar com os problemas do seu meio com aquilo que tem lhe afetado negativamente, trabalhando, assim, a causa do problema (e não apenas o sintoma). Desta forma, prepara-se a pessoa para a saída da depressão, evitando seu retorno. 
 
Vale resaltar que qualquer tratamento pode perder sua eficácia quando não existe apoio familiar. A família é parte integrante do tratamento.
 
Objetivos que você pode cumprir para se sentir melhor, evitando a depressão:
 
♦ Cultivar boas leituras e aprofundar seus conhecimentos;
♦ Aprender a gostar de si mesmo(a) e de suas habilidades;
♦ Ajudar pessoas em necessidade;
♦ Ampliar seu círculo de amigos e rir com eles;
♦ Pensar positivo, não cultivando pensamentos negativos;
♦ Praticar mais exercícios físicos e tomar sol regularmente em horários apropriados;
♦ Alimentação saudável;
♦ Prevenir-se da insônia
 
Texto de Lenilza Soares Cruz (CRP 71708), psicóloga da Enfermaria de Psiquiatria do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus

Tags:  

Galeria