Equipe médica multiprofissional e Departamento Pessoal: a pluralidade do trabalho do psicólogo no dia a dia corporativo
HUSF aborda a atuação dos especialistas em diferentes áreas nas empresas


27/08/2019 12:37:48 Comunicação NOTÍCIAS

Destacando o Dia do Psicólogo, celebrado em 27 de agosto, o Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus aborda e detalha a presença estratégica desse profissional em dois contextos distintos do universo corporativo: a equipe médica multiprofissional e o Departamento Pessoal e de Recursos Humanos.
 
Abaixo, você poderá conferir o resumo do essencial trabalho realizado pelas colaboradoras Flávia Gozzoli (CRP 56420), coordenadora do serviço de Psicologia do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus, e Fernanda Bratti (CRP 134413), psicóloga organizacional responsável pelas dinâmicas de recrutamento e seleção; análise e controle de rotatividade; avaliações de desempenho e acompanhamento psicológico dos demais funcionários da instituição.
 
A inserção e o cotidiano do psicólogo em equipes médicas multiprofissionais
Por Flávia Gozzoli (CRP 56420)
 
Em 1986, a Conferência Nacional em Saúde (CNS) demarcou uma reformulação no conceito de saúde, entendendo-a como um conjunto de fatores físicos, psíquicos e sociais – considerando, assim, o indivíduo um ser biopsicossocial. A partir dessa visão integral e multifatorial, o sujeito não é mais compreendido como fragmentado, passando a ser interpretado em sua totalidade e singularidade.
 
Com o início da prática de equipes multiprofissionais nas instituições, embasada pela nova visão a respeito do paciente, foi possível agregar, integrar e compartilhar diversas áreas do conhecimento em benefício dos enfermos. Essa realidade também contribuiu para a comunicação, conscientização e respeito de diferentes profissionais em prol do enriquecimento e da amplitude de uma nova ideia sobre o ser humano.
 
O psicólogo como membro dessa equipe trabalha em diversos campos de atuação da saúde, tais como prevenção, tratamento e reabilitação de pacientes. Afinal, no ambiente institucional é comum encontrar certa dificuldade no entendimento entre o campo manifesto e o subjetivo, pois o enfermo hospitalizado pode apresentar manifestações psíquicas nem sempre percebidas ou compreendidas pelos demais profissionais da saúde. Essa ampliação do olhar especializado atesta que, por trás do diagnóstico, existe uma pessoa com individualidades que necessita de compreensão.
 
Assim, além de oferecer assistência, suporte e acompanhamento psicológico ao paciente e aos respectivos familiares, o psicólogo desempenha o papel de interlocutor e tradutor das expressões emocionais do indivíduo aos outros membros – mediando vínculos –, colaborando com estratégias para a articulação de ações terapêuticas específicas.
 
Cabe ao psicólogo, também, atuar em situações extremas – como contextos de terminalidade ou morte –, buscando sempre a manutenção de relações interpessoais saudáveis, com o objetivo de minimizar possibilidades de conflitos.
 
Frente aos argumentos apresentados, conclui-se que a crescente inserção da Psicologia nas equipes de saúde é um fato reconhecido e responsável por criar oportunidades para que esses profissionais participem mais ativamente da dinâmica de definição de condutas e cuidado aos pacientes.
 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
  • CAMPOS, Terezinha Calil Padis. Psicologia Hospitalar: A atuação do psicólogo em hospitais. São Paulo: Pedagógica e Universitária Ltda, 1995.
  • TONETTO, Aline Maria.; GOMES, William Barbosa. A prática do psicólogo hospitalar em equipe multidisciplinar
  • FELÍCIO, Wesley Fernando. A psicologia e a multidisciplinaridade na saúde
  • GAZOTTI, Thaís de Castro. Vivências de psicólogos como integrantes de equipes multidisciplinares em hospital. Dissertação (Dissertação de pós-graduação em Psicologia) - PUC Campinas. 
Psicologia Organizacional: uma análise abrangente do universo corporativo
 
A Psicologia Organizacional, como explica a colaboradora Fernanda Bratti, surgiu da Psicologia Industrial, cujo foco era perceber e compreender melhor os fenômenos psicológicos presentes no universo corporativo. “A partir desse detalhado estudo, foi possível identificar os problemas que atingiam os trabalhadores em geral e, de certa forma, interferiam no bom curso de produtividade da empresa”, sintetiza a especialista.
 
Além de ter a grande responsabilidade de recrutar e selecionar os futuros colaboradores da instituição mediante rigorosos critérios técnicos, cabe à Fernanda todo o processo de aconselhamento e treinamento profissional; a análise de rotatividade entre setores e a assistência psicológica aos funcionários.
 
“Esse ramo da Psicologia não se restringe somente à gestão de pessoas, mas também direciona um cuidadoso olhar à saúde do trabalhador e à evolução da empresa. O atendimento psicológico que ofereço tem como principal objetivo a melhoria da qualidade de vida do colaborador, proporcionando um ambiente humanizado e acolhedor. A fomentação desse diálogo é fundamental para que todos possam desempenhar o melhor papel possível enquanto representantes de uma instituição tão tradicional e renomada”.
 
Instituído em 2016, o serviço de Psicologia Organizacional do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus já colhe frutos desde a sua implantação e segue planejando novidades para o bem-estar dos colaboradores. “Perceber diariamente a importância desse setor para a nossa instituição me motiva a buscar sempre a melhor prestação de serviços a todos os nossos funcionários, trazendo o que há de mais inovador e eficiente nesse contexto”, encerra Fernanda.

Tags:  

Galeria