Dia Mundial Sem Tabaco: psicóloga do HUSF explica panorama brasileiro no combate ao vício
Lenilza Soares Cruz detalha bons números e exalta campanhas de conscientização


31/05/2019 08:06:40 Comunicação NOTÍCIAS

O tabagismo é amplamente reconhecido como uma doença causada pela dependência física à nicotina, sendo classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como transtorno mental e comportamental, decorrente do uso de substâncias psicoativas. 
 
Porém, além da dependência à nicotina, os fumantes também são expostos continuamente a cerca de 5.000 substâncias tóxicas – representando fator de risco a, aproximadamente, 50 doenças. Desta forma, é o principal fator de morte evitável no mundo segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca).
 
No Calendário da Saúde, o dia 31 de maio representa o Dia Mundial Sem Tabaco. A campanha, criada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 1987, tem como objetivo alertar sobre os riscos de doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. Portanto, as campanhas de conscientização têm se mostrado eficazes na redução do uso de cigarro por parte da população.
 
Desde que a data foi instituída oficialmente – há quase 33 anos, por meio da Lei Federal 7.488/86 –, o País vem tentando reduzir o impacto do tabagismo, responsável por cerca de 200 mil mortes por ano. E os indicadores brasileiros mostram que o número de fumantes tem diminuído. Dados do Inca apontam que, nas duas últimas décadas, foi possível reduzir em mais de 10 milhões o número absoluto de fumantes no território.
 
Atualmente, o Brasil é referência no controle do tabagismo. Além de oferecer tratamento para fumantes no Sistema Único de Saúde (SUS) e promover ações educativas, o País adotou medidas com restrições à publicidade do cigarro – criando, também, uma lei que proíbe o ato de fumar em locais públicos fechados. 
 
Os tratamentos promovidos pelo departamento de saúde pública são realizados em hospitais e Unidades Básicas de Saúde (UBS), com acompanhamento de médicos, grupos de apoio e medicamentos que contribuem na diminuição do tempo de dependência.
 
Considerando um grande avanço no panorama brasileiro, o Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus oferece tratamento aos pacientes internados na enfermaria de psiquiatria para o fim do uso de tabaco, promovendo, desta forma, a qualidade de vida de seus pacientes e colaboradores.
 
Texto de Lenilza Soares Cruz, psicóloga da Enfermaria de Psiquiatria do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus, responsável por realizar grupos motivacionais na luta contra o vício em cigarro

Tags:  

Galeria