Bebês recebem banho de ofurô no HUSF
Técnica holandesa reproduz sensações do útero


20/02/2018 09:50:10 Comunicação NOTÍCIAS

A pequena Lorena, de apenas dois dias, estava agitada e chorando no colo da mãe Thais Regina. Ambas estavam na maternidade SUS do Hospital Universitário São Francisco. Lorena, assim como todos os recém-nascidos, está descobrindo o mundo e as novas sensações trazem insegurança. Entretando, algumas práticas ajudam os bebês a se acalmarem. É o caso do banho de ofurô.

No HUSF, a “ofuroterapia” é praticada desde 2016 na maternidade SUS. Quem lidera o projeto é a enfermeira Luana Maria de Carvalho. “O banho de ofurô é reconhecido e aprovado pelo Ministério da Saúde. Aqui no hospital criamos um Procedimento Operacional Padrão (POP), para que os profissionais sigam corretamente o protocolo”, explica a enfermeira.

Benefícios

Com todo o cuidado, Laura é enrolada no “cueiro” (um pano macio) e colocada dentro do balde. Luana vai comentando o processo passo a passo enquanto a residente de enfermagem Maria Carolina Rodrigues segura Laura e suavemente movimenta a recém-nascida no balde. A mudança é visível em poucos minutos. Laura logo se acalma e fica totalmente relaxada.

A mudança de comportamento acontence porque esse tipo de banho remete à sensações que o bebê sente no útero. “O banho também promove relaxamento, alivia cólicas e dores, além de ser um estímulo sensorial”, comenta Luana. Ela ainda explica que manter o recém-nascido enrolado no cueiro durante o banho aumenta a sensação de segurança.

De acordo com o Ministério da Saúde, os banhos de ofurô podem ser feitos seis horas após o nascimento até os dois anos de vida da criança. Maria Carolina diz que a técnica também é usada na Unidade de Terapia Intensiva, em prematuros. Porém, apenas prematuros saudáveis, que não estejam em risco. “Esse método ajuda os prematuros a ganharem peso”, afirma. Além de ser um momento de intimade entre pais e filhos, ou entre o bebê e o cuidador.

Para que o banho seja um sucesso, é necessário tomar alguns cuidados, como verificar a temperatura da água – que deve estar entre 36°C e 37°C -, não usar sabonete, xampu, óleo ou outros produtos, e ficar atento com a quantidade de água (que deve ficar até o pescoço do bebê).

“É importante falar que somente profissionais capacitados e os pais após o treinamento estão aptos a realizar o banho nos bebês”, conclui Luana. 


Tags: