Campanha 'Janeiro Branco' é voltada para a conscientização, prevenção e discussão de temas sobre a saúde mental
Iniciativa começou em 2014 em Uberlândia (MG)


09/01/2018 13:42:58 Comunicação NOTÍCIAS

Segundo dados divulgados em 2017 pela OMS (Organização Mundial da Saúde), 322 milhões de pessoas sofrem de depressão em todo mundo. No Brasil, 9,3% da população têm algum transtorno de ansiedade, a depressão afeta 5,8% dos brasileiros, sem contar outros tipos de transtornos mentais. Portanto, a saúde mental é um problema de saúde pública e deve ser discutido em todas as áreas.

 Com o objetivo de conscientizar e discutir a saúde mental de maneira simples e objetiva, em 2014 na cidade de Uberlândia (MG) foi criada a Campanha Janeiro Branco. O movimento é realizado por psicólogos e profissionais ligados a área de saúde jutamente com estudantes. Este movimento foi tão significativo que viralizou pelo Brasil, tornando-se conhecido e reconhecido por promover a  temática tão necessária no dia a dia das pessoas e da sociedade. Mas, por que Janeiro?

 É comum na “virada do ano”percebermos nossos sentimentos aflorados, em um mês de mobilização afetiva que dezembro proporciona e pelas percepções que janeiro suscita.

O mês de janeiro é estratégico, um mês de projetos e reflexões, sendo ideal em sua simbologia e características peculiares. A campanha Janeiro Branco tem como metas ajudar pessoas a olharem para suas próprias condições, sua disposição para a vida e projetos, se colocando em contato com as próprias dúvidas, angústias ou dificuldades psíquicas existenciais.

O objetivo é incentivar as pessoas a investirem em saúde mental, estimulando a olharem para si com valorização, respeito e cuidados, contribuindo assim para harmonia e saúde mental individual e das relações sociais que as envolve.

Vivemos num mundo competitivo, exigente com crescente pressão pelo aumento da eficiência em um tempo cada vez menor,  com isso um crescimento significativo nas taxas de suicídio e doenças psíquicas, sendo necessária campanhas que promovam ações em prol da saúde mental e do adoecimento emocional dos indivíduos e das instituições.

Percebe-se que a doença nunca vem sem causa. O caminho é preparado, e a doença convidada, pela desconsideração para com as leis da saúde. Daí a importância de hábitos saudáveis que podem  protegê-lo.

Confira 10 hábitos saudáveis que você pode desenvolver:

1.      Converse com amigos e familiares:

Uma dose diária de amizade é um grande remédio. Ligue ou escreva para amigos e familiares para compartilhar sentimentos, esperanças e alegrias. Cultive boas amizades.

 2.  Envolva-se em atividade física diária:

A atividade física regular alivia a tensão física e mental. Adultos fisicamente ativos têm menor risco de depressão e perda da função mental. A atividade física também pode ser uma grande fonte de prazer. Tente caminhar, nadar ou andar de bicicleta todos os dias.

 3. Aceite as coisas que você não pode mudar:

Não diga: “Estou velho demais.” Você ainda pode aprender coisas novas, trabalhar em direção a um objetivo, amar e ajudar os outros.

 4. Lembre-se de rir:

O riso faz você se sentir bem. Não tenha medo de rir, mesmo quando está sozinho.

 5. Abandone os maus hábitos:

O excesso de álcool, cigarros ou a cafeína pode aumentar o estresse. Opte por hábitos saudáveis.

 6. Vá mais devagar:

A vida é uma maratona, e não uma corrida de 100 metros rasos. Planeje com antecedência e tempo suficiente para conseguir fazer as coisas mais importantes no seu devido tempo.

 7. Durma o suficiente:

Tente dormir de sete a oito horas a cada noite. A atividade física também pode melhorar a qualidade do sono.

 8. Organize-se:

 Use “listas de coisas a fazer” para ajudá-lo a concentrar em suas tarefas mais importantes. Aborde grandes tarefas um passo de cada vez.

 9. Retribua:

 Seja um voluntário nas horas vagas ou retribua um favor a um amigo. Ajudar os outros é ajudar a nós mesmos.

 10. Tente não se preocupar e Compreenda suas emoções:

Quando estiver com dificuldade pra gerenciar suas cognições e emoções perceba que a sobrecarga destas aumentam a necessidade de contarmos com ajuda profissional, daí a importância de procurar ajuda nestes momentos.

Lenilza Soares Cruz (Psicóloga em Saúde Mental)

 


Tags:  

Galeria